atleta-passa-o-bastão-para-o-próximo-revezando-a-vez-de-correr

Job Sharing: é possível equilíbrio entre vida profissional e o pessoal

O equilíbrio tão desejado entre a vida profissional e pessoal é um grande desafio diário. A boa notícia é que um novo modelo de trabalho já vem sendo testado pelas organizações para alcançar essa harmonia: é o Job Sharing.

Job Sharing quer dizer cargo compartilhado. A proposta é que duas pessoas dividam o mesmo trabalho, alternando partes do dia ou dias da semana.

O objetivo é que as pessoas envolvidas consigam se dedicar também à sua vida pessoal, investindo tempo nos estudos, na família ou em si.

Esse novo formato de trabalho tem dado certo nas empresas que defendem que a harmonia dos colaboradores influencia na produtividade. Ou seja, se a pessoa está feliz, acaba se dedicando mais à função exercida.

Job Sharing é tendência para o futuro

Não é de hoje que as organizações têm tentado ressignificar o trabalho.

O home office e a flexibilidade dos horários não são mais vistos como inimigos, responsáveis por enfraquecer a cultura organizacional da empresa. Assim como o Job Sharing, que já é considerado positivo por empresas americanas e europeias.

No geral, as organizações concordam que essa divisão de cargo é uma tendência do mercado de trabalho para o futuro, principalmente em grandes empresas.

No Brasil, o experimento começou com uma proposta de duas diretoras de recursos humanos da Unilever e, até agora, tem dado certo.

A experiência teve início em abril de 2019 entre as diretoras de recursos humanos Carolina Mazziero e Liana Feracotta.

Ambas já dividiam a vontade de se dedicar também aos filhos e aos estudos, e encontraram no Job Sharing uma oportunidade de equilibrar a vida profissional e pessoal.

Como implementar o Job Sharing

Antes do Job Sharing ser implementado, é preciso muita conversa e planejamento para que haja uma estratégia de comunicação adequada para a equipe.

O sucesso do novo modelo de trabalho vai depender da fluidez das informações e a determinação constante de prazos, assim como a mensuração deles.

Dividir o cargo com alguém exige uma necessidade de trocas constantes de informação, sem deixar nada escapar, para que todos possam contribuir efetivamente com a sua função. Por isso, a parceria do Job Sharing deve ser construída através de valores pessoais semelhantes.

A divisão do cargo é uma divisão de tarefas também. Então sente e faça uma definição prévia do que será responsabilidade de quem. É imprescindível que a divisão do cargo ocorra entre duas pessoas que apresentam o mesmo nível técnico.

É essencial que os profissionais que pretendem dividir o cargo se encontrem uma vez na semana para dividir experiências e alinhar decisões.

Quais os benefícios da divisão do cargo?

E, já que toda a equipe será impactada, é preciso também comunicar a todos quais os benefícios e regras do Job Sharing.

O maior benefício do novo modelo de trabalho é, sem dúvida, a priorização do bem-estar do trabalhador ou trabalhadora.

E para as empresas pode ser uma forma de atrair e reter profissionais de qualidade. O equilíbrio entre a vida profissional e pessoal tem sido considerado, cada vez mais, na hora de optar por um emprego.

Essa flexibilidade pode ser levada em conta por muitas pessoas na hora de aceitar uma vaga ou de reter uma pessoa talentosa.

É também uma forma de estimulá-la. Lembre-se: profissionais felizes costumam trazer mais resultados positivos.

Horário menor, salário menor também

O estresse dos colaboradores que possuem esse equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é menor, sendo assim, costumam ser mais produtivos.

O salário será proporcional à redução das horas de trabalho. Por exemplo, se agora você trabalha 60% do tempo, o salário será 60% em relação ao anterior. Isso faz com que muitos profissionais não gostem do novo modelo de trabalho.

Apesar da ideia soar atrativa, nem todo mundo se encaixa no perfil do formato Job Sharing.

Muitas pessoas não estão dispostas a abrir mão de parte do salário mesmo que seja para trabalhar uma carga horária menor.

Mas há também aqueles que aprovam o formato e se sentem recompensados ao serem selecionados para o Job Sharing.

Isso tudo graças a qualidade de vida que ganham e pela percepção de que seu trabalho está sendo reconhecido.

Essa flexibilidade e demonstração de confiança contribuem para um trabalho mais produtivo e inovador.

Novo formato de trabalho pode ajudar a reduzir custos

A organização também tem seus benefícios com esse novo formato de trabalho.

Muitas vezes, a empresa percebe uma redução nos custos ao longo da implementação do Job Sharing. 

Ações simples como enxugar a utilização do espaço físico, custos com horas extras – já que não haverá acúmulo de carga horária – e, além disso, a mudança faz com que os méritos sejam creditados a equipe como um todo e não apenas a um determinado indivíduo.

Outro ponto positivo para a empresa é que o novo formato de trabalho faz com que ela seja responsável pela criação de vagas de trabalho.

Apostar num novo formato de trabalho pode trazer benefícios tanto para o profissional quanto para a organização. Acompanhe o Lifelong Workers e fique por dentro das flexibilizações cada vez mais adotadas pelas empresas.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.