O que é Futures Thinking e seu impacto nas profissões do futuro - Blog Lifelong Workers | Ressignificando o trabalho, a renda e a vida ao longo dela.
mulher pensando em futuros alternativos, olhando para a frente

O que é Futures Thinking e seu impacto nas profissões do futuro

Futures Thinking está para Futuros como Design Thinking está para o Presente. Só com esta dica, creio que já dá para entender melhor a relação com profissões do futuro, certo?

Não necessariamente, eu sei. Mas afinal, o que é Futures Thinking? Vamos começar pelo o que não é: não é uma metodologia, como alguns se referem.

Para metodologias, temos outras denominações, como por exemplo, o Foresight Estratégico também conhecido como Prospectiva Estratégica em português.

E a diferença entre o Foresight Estratégico para Futures Studies é que o Foresight é basicamente a aplicação das metodologias de Futures Studies, enquanto que este último é o estudo de muitas metodologias e áreas em torno da compreensão do que está por vir e como podemos atuar no presente para construirmos desde já futuros que desejamos, sonhamos.

Aliás, muitos se referem a Futurismo aqui no Brasil para uma ideia muito próxima a Futures Studies. Mais um termo Cassiana???? Ai ai ai… calma gente, vamos por partes.

Neste artigo, focaremos na compreensão de Futures Thinking e porque esta é uma nova habilidade que será cada vez mais demandada em tantos profissionais neste século.

O que é Futures Thinking?

Assim como o conceito de Design Thinking hoje é bem compreendido pelo mercado, entendo que está na hora agora de avançarmos mais para a compreensão mais massificada de Futures Thinking. Notou que “Thinking” aparece em ambos?

Ou seja, Futures Thinking é um modelo de pensamento ou mindset, assim como o Design Thinking também o é. Para fazermos com que estes mindsets permeiem nossas vidas e trabalhos, as ferramentas, metodologias, métodos ajudam. Mas não confunda os termos.

Eles todos estão dentro de um composto maior de estudos e compreensão. E inclusive, ainda há muitos debates em torno destas terminologias todas, não existe um consenso ainda. O que compartilho com vocês neste artigo está em torno de minha própria compreensão, pesquisando diversas fontes e debates há anos.

E minhas conclusões são todas pautadas em pontos de vistas de alguns profissionais de futuros bem reconhecidos mundialmente. De uma forma simplificada, a diferença que fica clara para mim entre tantos termos no mercado tem muito a ver com a semântica mesmo de cada um destes termos.

O modelo de pensamento em direção a Futuros Alternativos – pois são muitos futuros possíveis – é uma forma de pensar na qual sistematicamente nos questionamos sobre o que poderia acontecer e assim nos anteciparmos a certos movimentos, gerando no mínimo, muita resiliência.

Note bem: não é tentar adivinhar o futuro, já que este é imprevisível.

Ao refletirmos de forma bem estruturada e com frequência sobre os possíveis impactos de nossas ações hoje, temos melhores condições de sermos mais assertivos e também responsáveis em nossas decisões estratégicas no presente. Afinal, muitas de nossas decisões no agora refletirão em aproximadamente 7 gerações futuras, você tinha essa noção?

Então aqui está o primeiro e grande benefício de desenvolvermos nossas habilidades em torno de Futures Thinking. Vamos ver alguns outros agora.

Quais são os benefícios colhidos por se desenvolver em Futures Thinking?

Bom, além deste benefício crucial que acabo de mencionar, ainda temos muitos outros. Relatarei abaixo alguns que julgo bem pertinentes em qualquer contexto em que você esteja, profissionalmente falando – já que a proposta deste artigo é relacionar o tema com as profissões do futuro:

  • Saimos de uma gestão da realidade presente (problem-solving) para a gestão de criação de possibilidades e oportunidades futuras e mais sustentáveis. Com isso, também te move de um dia-a-dia mais no operacional para um dia-a-dia mais transformacional;
  • Te ajuda a parar de remar em um oceano vermelho em que parece que seu esforço nunca é o suficiente o bastante, para te canalizar em direção a oceanos azuis, onde você pode não apenas remar, como nadar em qualquer estilo, boiar, meditar e ainda se rentabilizar sem o stress e pressão típicas dos oceanos vermelhos;

“A melhor forma de prever o futuro é criá-lo” – Abraham Lincoln

  • Te ajuda a perceber conexões mais sistêmicas entre ações e tomadas de decisões, assim como seus reflexos. Ou seja, ao tomar decisões hoje, você evita tapar um buraco destampando outro.
  • Desenvolve ainda mais a sua capacidade de colaborar e de pedir ajuda, já que para atuar com este modelo de pensamento, inteligência coletiva e escuta de tantos stakeholders – pessoas direta e indiretamente envolvidas nas questões – são mandatórias.
  • Aprimorar suas competências e habilidades em Futures Thinking também te estimula a propor diálogos mais estratégicos com os que te rodeiam. Por expandir a sua compreensão de tantas possibilidades ainda não exploradas em discussões do presente, também fortalece suas habilidades de uma liderança para a nova era.

Ou seja, são benefícios todos bem condizentes com as novas demandas do mundo e profissões do futuro.

Por que as profissões do futuro demandarão cada vez mais profissionais que dominem esta habilidade?

Não á toa cada vez mais empresas e líderes buscam atuar com pessoas em seus times que tenham competências e habilidades como estas por perto.

Em um mundo onde a cota de responsabilidade social é cobrada cada vez mais de todos nós – cidadãos, órgãos públicos e privados, ter habilidades bem desenvolvidas em relação a pensamentos de futuros se torna um diferencial.

Especialistas para resolver problemas do presente, que inclusive foram gerados em decorrência de decisões do passado, é o que não falta. Agora, mais do que nunca, precisamos de mais generalistas, profissionais mais holísticos, sistêmicos. E Futures Thinking contribui com isso também.

“A palavra “futuro” deveria ser encarada como um verbo e não um substantivo”. Ela pode ser usada para descrever não apenas um lugar no tempo no qual chegaremos, mas o processo da modelagem de mudanças mais proativamente. – D. Rushkoff1

Existe uma demanda crescente agora por profissionais que contribuam na construção de futuros possíveis e melhores. Muitas das profissões do futuro trazem esta característica implícita em suas atividades.

Ninguém precisa se tornar futurista profissional, até porque tudo indica que esta mesma profissão passe a ser exercida de forma distribuída, ou seja, em todos nós. Basta desenvolvermos a nossa competência e habilidade em Futures Thinking.

Ou seja, não se trata de apenas dar um upgrade nas questões do presente e sim de repensarmos juntos novas possibilidades jamais vividas antes pela nossa sociedade, onde a regeneração do planeta, dos sistemas e do próprio ser humano está no centro de tudo.

E não mais o capitalismo desmedido, assim como o crescimento “infinito”. Entre tantas outras questões que já provam serem nada sustentáveis.

Mas se competências e habilidades de pensamentos sobre futuros é tão importante, porque mais gente ainda não as desenvolveu?

Uma das questões por trás disso é que as pessoas ainda não tem clareza sobre o que é futures thinking e nem mesmo os seus benefícios – especialmente no Brasil.

Países tidos como desenvolvidos já estão mais a frente em torno destas questões e desenvolvimento desse modelo mental de forma mais disseminada na população, especialmente entre profissionais de todos os campos de atuação.

Estas civilizações já compreenderam que pensar sobre futuros para melhores tomadas de decisões no hoje, as torna mais potentes em todos os sentidos. Isso se dá especialmente por conta de uma consciência coletiva mais sistêmica.

Mas vamos lá, acredito que temos condições de no Brasil promovermos esse desenvolvimento de forma mais rápida e colhermos benefícios tanto do ponto de vista individual quanto coletivo.

Afinal, sem uma melhor compreensão coletiva do que pode estar por vir, nos colocamos em uma situação de maior vulnerabilidade e até mesmo cegos em relação a tantos desafios que estão por vir neste século, já começando por esta década.

Este artigo é um dos que ajudam a disseminar este conhecimento e sua relevância para nós como nação. Se quiser contribuir também, é só compartilhá-lo! : ) – E celebre a sua boa ação do dia!

Muitos outros ainda virão em seu complemento – fique por dentro assinando a nossa newsletter semanal, no rodapé aqui da página.

¹ Rushkoff, D. 2018. Why Futurists Suck. Futurefest, 7 July, London em Futures Thinking is a mindset not a method.

**** **** **** **** ****

Leia também: Planejamento Estratégico Pessoal X Foresight Estratégico Pessoal – você tem clareza das dierenças destas aplicações?

Assista ao papo que Cassiana Buosi teve com Flavia Vivacqua sobre “Ressignificação do Trabalho pelo Design Regenerativo” em nosso canal no Youtube.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.